Morre ex-primeiro-ministro de Israel Yitzhak Shamir

Israel Chora Yitzhak Shamir

  •   Morre ex-primeiro-ministro de Israel Yitzhak Shamir
  •    
    ​Shamir foi primeiro-ministro por sete anos, de 1983 a 1984, e de 1986 a 1992. Ele pertencia ao partido Likud, o mesmo de Netanyahu, e era conhecido por sua recusa a confiar em qualquer governo árabe e sua intransigência na recusa a ceder qualquer território aos palestinos em um eventual acordo de paz.
  •  
     
    Seu segundo governo foi marcado pela primeira Intifada - o levante dos palestinos contra a ocupação de seus territórios por Israel - e pela Guerra do Golfo, quando o Iraque de Saddam Hussein, ao ser atacado pelos EUA, lançou dezenas de mísseis Scud contra Israel.
     
    Derrotado nas eleições de 1992, ele deixou a liderança do partido Likud e ficou deixado de lado enquanto seu sucessor na chefia do governo israelense, Yitzhak Rabin, do Partido Trabalhista, negociava os acordos de paz de Oslo e Camp David com Yasser Arafat, então chefe da Organização para a Libertação da Palestina (OLP).
     
    Os acordos, que previam o fim da ocupação dos territórios palestinos da Cisjordânia e de Gaza em troca do reconhecimento do direito de Israel a existir pelos palestinos, renderam o Prêmio Nobel da Paz para Rabin, Arafat e o então presidente dos EUA, Bill Clinton.
     
     
     
    Para ele, o Partido Trabalhista, que governou Israel continuamente por 30 anos, desde a fundação do país em 1948, era culpado de traição por ter aceito as resoluções da ONU de 1947, que previam a criação de dois Estados, um para os judeus e outro para os palestinos, nos territórios que o Reino Unido havia tomado do Império Otomano ao final da I Guerra Mundial.
     
    Nascido na Polônia em 1915, com o nome de Yitzhak Jazernicki, Shamir migrou para a Palestina em 1935 e juntou-se ao grupo Lehi, a mais violenta das organizações judaicas que combatiam a ocupação da Palestina pelos britânicos. Ele foi preso duas vezes e escapou; na segunda ocasião, foi capaz de fugir de um campo de detenção britânico no Djibuti e voltar à Palestina.
     
    Depois da fundação de Israel, Shamir atuou como empresário por alguns anos e depois fez carreira dentro do Mossad, o serviço israelense de espionagem. Em meados dos anos 1960, ele juntou-se ao partido direitista Herut, que mais tarde se tornaria o Likud. Tornou-se primeiro-ministro pela primeira vez em 1983, como sucessor de Menahem Begin, depois da desastrosa invasão do Líbano por Israel em 1982.
     
     
     Shamir compareceu à primeira conferência pela paz no Oriente Médio, em Madri, no fim de 1991, que abriu caminho para os encontros posteriores em Oslo e Camp David, nos quais o governo israelense já era dominado pelos trabalhistas.
     
    Ele comemorou a volta do Likud ao poder, depois da eleição de 1996,  e deixou o partido em 1999 para fundar outra agremiação de direita, o bloco União Nacional, liderado por Zeev Binyamin, filho de Menahem Begin. As informações são da Associated Press.
     
     
    Fonte:Yahoo Notícias
     
  •