O acordo entre o grupo 5 +1 e o Irão

O acordo entre o grupo 5 +1 e o Irão em Genebra

  •    
    ​...
  •  
     
     
    Quais as implicações deste acordo?
     
    •Reconhecimento internacional sem precedentes do programa de enriquecimento do Irão
     - Sob o acordo de Genebra o Irão vai manter as suas vastas capacidades de enriquecimento durante tanto o "primeiro passo", no qual as partes se comprometem a respeitar as respectivas medidas específicas, bem como na "etapa final", destinada a obter uma solução global para a questão nuclear. Isto significa basicamente que, pela primeira vez desde o início das negociações, em 2003, a comunidade internacional reconhece o programa de enriquecimento do Irão e concorda que não será reversível - ao contrário de uma política de longa data de suspensão total, consagrada em várias resoluções do Conselho de Segurança da ONU.
     
    Aceitação internacional do reactor de águas pesadas em Arak, que produz plutónio para efeitos militares
     - Os elementos da solução global mencionados no acordo de Genebra não referem qualquer compromisso sobre o desmantelamento do reactor de águas pesadas de Arak. O acordo só aborda a necessidade de resoluções sobre o reactor, o que implica, portanto, que o Irão não vai ser obrigado a destruir a central que é exclusivamente utilizada para a produção de plutónio para uso militar.
     
    • Contínua investigação e desenvolvimento para melhoria tecnológica das centrifugadoras
     - O presente acordo permite que o Irão continue a sua investigação e desenvolvimento de centrifugadoras de tecnologia avançada. Isto significa que o Irão será capaz de desenvolver e reforçar a sua capacidade de enriquecimento de urânio, sob o pretexto deste acordo, e estará numa posição tecnologicamente ainda mais avançada quando decidir que é hora de aumentar ainda mais o enriquecimento. Portanto, este acordo permite que o Irão se aproxime realmente de obter capacidade nuclear militar.
     
    •O stock actual de urânio enriquecido a um nível menos de inferior 5% permanecerá intacto
    - É permitido que o Irão preserve o seu stock actual de cerca de 7 toneladas de urânio enriquecido a um nível inferior de 5%. Embora o acordo obrigue a que durante o "primeiro passo" o Irão tenha de transformar qualquer LEU adicional produzido em Natanz e Fordow em óxido, essa conversão depende da disponibilidade da linha de conversão relevante no Irão. Dado o histórico de o Irão de arrastar os assuntos para ganhar tempo, não será uma surpresa se ​​o Irão continuar a acumular o material bem após o início da implementação do "primeiro passo" e mesmo depois disso.
     
    • O Irão será capaz de reverter facilmente as medidas tomadas no âmbito do acordo e seguir em frente, uma vez que é politicamente conveniente
    - O Irão não é obrigado a reverter ou destruir nada. A sua infra-estrutura nuclear permanecerá intacta, permitindo-lhe retomar as operações quando assim decidir.
     
    •As dimensões militares do programa do Irão são colocadas num plano inferior
     - O acordo de Genebra não contém qualquer exigência clara sobre o Irão para fornecer respostas, acesso e informação em relação às dimensões militares do seu programa nuclear. O coração da crise nuclear encontra-se com as questões que implicam que o Irão se tenha envolvido no desenvolvimento de armas nucleares. Ironicamente, essas questões estão completamente ausentes de um acordo que pretende o restabelecimento da confiança na natureza pacífica do programa nuclear do Irão como um dos seus principais objetivos.
     
    • O acordo põe em causa o regime de sanções e fornece ao Irão um alívio crucial na pressão económica
     - As concessões internacionais em matéria de sanções minam o regime de sanções e coibem o impulso para uma pressão adicional sobre o Irão. É fundamental lembrar que foi a pressão  que fez com que o Irão voltasse para a mesa das negociações, em primeiro lugar, e, portanto, reduzir as sanções, sem quaisquer concessões reais por parte do Irão é extremamente contraproducente: é agora menos provável que o Irão concorde com quaisquer restrições significativas sobre seu programa nuclear.
     
      O acordo assinala que é agora legítimo fazer negócios com o Irão
     - os actores do sector privado podem interpretar o acordo como um sinal de que o Irão iniciou um caminho que vai trazê-lo de volta do isolamento internacional. Isto pode resultar em novos esforços para retomar ou desenvolver negócios no Irão.
     
    • O acordo "interino" pode tornar-se permanente
     - Na ausência de um sentido de urgência sob a fachada de um acordo, a medida provisória pode tornar-se permanente e definir os parâmetros do programa nuclear do Irão para os próximos anos. Dadas as observações feitas acima, isso significa que o Irão vai praticamente ser escoltado até uma posição limite de alcance da arma nuclear por parte da comunidade internacional.