Brasil e Israel

Brasil e Israel

  •    
    BRASIL E ISRAEL: UMA HISTÓRIA DE AMIZADE
     
    O diplomata brasileiro Oswaldo Aranha presidiu a Assembléia Geral das Nações Unidas em 1947, que tomou a histórica decisão da partilha que levou à criação do Estado de Israel em 1948. O ato constituiu um importante marco nas relações do Brasil com o nascente Estado de Israel.
     
    O Brasil foi um dos primeiros países a reconhecer o Estado de Israel. Em 1951 foi criada a Legação do Brasil em Tel Aviv, elevada, em 1958, à categoria de Embaixada. Também em 1951, Israel inaugurou sua Embaixada no Brasil no Rio de Janeiro sendo, posteriormente, transferida para Brasília. Em 2010 Israel irá reabrir seu Consulado em São Paulo.
     
    Brasil e Israel compartilham uma longa história de intercâmbio nas áreas técnica, científica e tecnológica. Desde os anos 1960, Israel contribui para o desenvolvimento da agricultura do semi-árido, por meio da difusão de técnicas de irrigação em regiões do Nordeste brasileiro. Agora, com a visita do Presidente Shimon Peres e a assinatura de um novo acordo, o Brasil e Israel irão trabalhar juntos em cooperação técnica em benefício de outros países, especialmente na África.
     
    Durante o regime militar no Brasil, as relações políticas entre os dois países foram limitadas, mas o intercâmbio cultural floresceu com grande influência do Tropicalismo e da Bossa Nova à musica israelense e muitas músicas brasileiras foram traduzidas para o hebraico – o último show ao vivo de Tom Jobim foi em Jerusalém, capital de Israel. Na época, Niemeyer passou um tempo em Israel onde projetou várias obras, incluindo a Universidade de Haifa.
     
    As relações culturais continuam aumentando ainda hoje. Israel tem participado frequentemente de eventos culturais brasileiros como bienais de arquitetura, bienais de arte, festivais de cinema, feiras literárias etc. A cultura popular brasileira segue bem recebida em Israel com escolas de capoeira e música instaladas no país.
     
    Nos últimos anos as relações políticas se fortificaram com uma série de visitas ministeriais e comerciais de ambos os lados, como a visita à Israel do Ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim,  o Ministro da Educação, Fernando Haddad, o Ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, a ex-Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, e o ex-Ministro de Assuntos Estratégicos, Roberto Mangabeira Unger. Já o Brasil foi visitado por Ehud Olmert, na época Ministro da Indústria, e pelos Ministros de Segurança Pública, Educação e Agricultura de Israel, entre outras importantes missões. Em 2009 veio ao Brasil, pela primeira vez em mais de 20 anos, o Ministro das Relações Exteriores e Vice-Primeiro-Ministro, Avigdor Liberman. Essas trocas de visita trouxeram uma série de acordos bilaterais importantes nos campos da educação, agricultura, cooperação na área de saúde, pesquisa científica industrial e aduaneira. Durante a visita do Presidente Shimon Peres, serão assinados acordos na área jurídica, de turismo e de cooperação técnica em benefício de países terceiros.
     
    O Acordo de Livre Comércio entre Israel e o Mercosul, assinado em 2007, constituiu Israel como primeiro parceiro extra-regional a firmar este tipo de acordo com o bloco. Trata-se de acordo de abertura de mercados que cobre, também, comércio de bens, regras de origem, salvaguardas, cooperação em normas técnicas, sanitárias e fitossanitárias, cooperação tecnológica e técnica e cooperação aduaneira. Em 2008 o comércio bilateral ultrapassou 1,5 bilhões de dólares.
     
    Além das relações comerciais, outros tipos de cooperação em vários temas são mantidos entre Brasil e Israel. Um dos programas oferecidos, pela Embaixada de Israel no Brasil, é o Mashav, que fornece bolsas de estudos para cursos em diversas áreas em Israel. No último ano, 48 brasileiros participaram de cursos em Israel através Mashav. Além disso, existe uma cooperação e boas relações científicas entre Universidades do Brasil e de Israel.
     
    Israel recebeu no último ano mais de 30 mil turistas e trabalha com a meta de atingir o número de 50 mil brasileiros visitando o país por ano. Uma das estratégias foi facilitar o trajeto de Brasil para Israel e vice-versa. Em maio deste ano a empresa de aviação israelense “El-Al” começou a operar no Brasil com vôos três vezes por semana. A meta é em breve estar operando vôos diários entre os dois países.
     
    Os investimentos no Brasil
     
    Há vinte anos atrás, só haviam 5 empresas israelenses com representação no Brasil, hoje há cerca de 150 empresas israelenses no país. Este alto número de empresas israelenses que já se estabeleceram no Brasil mostra o grande aumento do interesse de Israel no mercado brasileiro.
     
    A maioria dessas 150 empresas israelenses localizadas no Brasil é de alta tecnologia em diversas áreas como: Agrotecnologia (42 empresas), Telecomunicações e TI (42 empresas), Produtos e Tecnologias de Segurança (24 empresas), Equipamentos Médicos (17 empresas) além de empresas em outras áreas como Equipamentos Elétricos, Aviação e Veículos Aeroespaciais, Energia e outras.
     
    Algumas dessas empresas de Israel que já operam no Brasil são bem conhecidas e estabeleceram excelentes contatos de cooperação com a indústria brasileira enquanto investem no mercado local. Israel é um dos países líderes no mundo em inovação tecnológica; é um centro de excelência em inovações tecnológicas em vários setores (telecomunicação, espaço, biotecnologia, nanotecnologia para agro tecnologia).
     
    A colaboração entre centros de pesquisa e instituições brasileiras e israelenses oferece um vasto escopo de oportunidades para o desenvolvimento do nível tecnológico no Brasil e proporciona benefícios para o Brasil como um todo.

    Indicadores Israelenses (2008):
     
    População    7,3 milhões de pessoas
    PIB           US$199,00 Bilhões
    PIB per capita    US$27.300
    Índice de Crescimento   5.3%
    Inflação    3,8%
    Desemprego        6,1%
    Exportação de Produtos FOB    $65 bilhões f.o.b
    Principais produtos exportados:   maquinário e equipamentos, softwares, diamantes lapidados, produtos agrícolas, produtos químicos, têxteis e acessórios
    Parceiros de Exportação  EUA 38.4%, Bélgica 6.5%, Hong Kong 5.9% (2006)
    Importação de Produtos  FOB  $50 bilhões f.o.b
    Principais produtos importados:  matéria prima, equipamentos militares, bens de capital,
    diamantes brutos, combustíveis, grãos e bens de consumo.
    Importação União Européia US$9.554.1, Ásia US$5.462.5, Estados Unidos
    (Janeiro a Julho/2009 em Milhões): US$3.403.3, Outros Países US$7.089.7.
    Exportação União Européia US$ 6.858.6, Ásia US$ 4.707.1, Estados Unidos
    (Janeiro a Julho/2009 em Milhões): US$ 8.964.7, Outros Países US$5.172.5.

    Dados Políticos de Israel:
     
    Governo: República parlamentarista
    Capital: Jerusalém foi declarada capital do Estado de Israel mediante aprovação da Lei Básica de 30/7/1980.
    Divisões Administrativas: 6 distritos: Central, Haifa, Jerusalém, Norte, Sul e Tel Aviv.
    Chefe de Estado: Presidente Shimon Peres, do Kadima, desde 15 de julho de 2007.
    Chefe de Governo: Primeiro-Ministro Benjamim Netanyahu, do Likud, desde 31 de março de 2009.
    Partidos Políticos: Assembléia Nacional Democrática – Balad (líder: Jamal Zahaka); Frente Democrática pela Paz e Igualdade – Hadash (líder: Muhammad Baraka); Kadima (líder: Tzipi Livni); Likud (líder:Benjamin Netanyahu); Lista Árabe Unida (líder: Ibrahim Sarsour); Meretz-Yahad (líder: Yossi Beilin); Partido dos Pensionistas – GIL (líder: Rafael Eitan); Partido Trabalhista (líder: Ehud Barak); SHAS (líder: Eliyahu Yishai); Torah e Shabbat (líder: Yaakov Litzman); União Nacional/Partido Nacional Religioso (líder: Binyamin Elon) e Yisrael Beiteinu (líder: Avigdor Lieberman).
  •  
     
  •