CULTURA: Teatro

CULTURA: Teatro

  •   CULTURA: Teatro e Entretenimento
  •    
    O teatro em Israel é composto de vários elementos diferentes - contemporâneos e clássicos, locais e importados, experimentais e tradicionais - com autores, atores, diretores e produtores de várias formações e origens, criando gradualmente um teatro israelita distinto. ​​​​
  • icon_zoom.png
    icon_zoom.png
    CULTURE: Theater and Entertainment CULTURE: Theater and Entertainment
    Imagem cedida pelo Teatro Khan, Jerusalém
     
  •  
  • Teatro

  •  

    O teatro, ao contrário da literatura, não existia na cultura hebraica antiga e nem se desenvolveu a partir do teatro ídiche, tão popular nas comunidades judaicas da Europa Oriental até à II Guerra Mundial. O seu início data da fundação, em 1917, do teatro hebraico Habima (O Palco), em Moscovo, sob a direção do diretor russo Constantin Stanislavsky e contando com o talento dramático de Hanna Rovina (1892-1980), que mais tarde recebeu o título de "Primeira Dama do Teatro Hebreu". Em 1931, a companhia estabeleceu-se definitivamente em Tel-Aviv.

    O teatro em Israel é composto de vários elementos diferentes - contemporâneos e clássicos, locais e importados, experimentais e tradicionais - com autores, atores, diretores e produtores de várias formações e origens, criando gradualmente um teatro israelita distinto. O panorama teatral é muito ativo, com seis teatros de repertório profissional, dezenas de companhias regionais e amadoras que se apresentam em todo o país, para um público numeroso e dedicado. Nos últimos anos, várias companhias israelitas realizaram tours pela Europa Ocidental e Oriental, participando em festivais internacionais, como o Festival de Edimburgo, e apresentaram-se em vários eventos teatrais na Europa, Estados Unidos e noutros lugares. Alguns grupos semiprofissionais e amadores apresentam-se em inglês e russo.

    Entre os autores de peças, alguns dos quais reconhecidos internacionalmente, é possível citar Chanoch Levine, Yehoshua Sobel, Hillel Mittelpunt e Ephraim Kishon. As principais companhias teatrais estão sediadas nas quatro maiores cidades do país.

    Habima, o teatro nacional, tem a sua sede num complexo de três salas (com 1.520 lugares) em Tel-Aviv, com uma lotação média de 90%, graças, em parte, aos seus 30.000 assinantes anuais. O seu repertório inclui peças tradicionais sobre temas judaicos, obras de autores hebraicos contemporâneos e traduções de clássicos internacionais, dramas e comédias. Diretores de projeção internacional são às vezes convidados a montar seus espetáculos.

    O Teatro Cameri, o teatro municipal de Tel-Aviv desde 1970, foi a primeira companhia a apresentar quadros realistas da vida israelita e continua a contribuir para o desenvolvimento do teatro hebraico com um repertório dinâmico, que inclui uma importante série de dramas israelitas originais e adaptações de grandes sucessos teatrais. O Teatro Cameri está localizado num conjunto de última geração composto por quatro salas, ao lado do Centro de Artes Cénicas de Tel-Aviv. A produção de Hamlet do Teatro Cameri, estrelada por Itay Tiran como o príncipe Hamlet, foi aclamada pela crítica, tanto em Israel como no exterior. Essa versão foi apresentada como parte do Festival Shakespeare, em Washington, no Kennedy Center.

    O Teatro Municipal de Haifa é um teatro de repertório que apresenta tanto produções israelitas, como peças estrangeiras clássicas e modernas.

    O Teatro Municipal de Be’er Sheva é um teatro de repertório com peças contemporâneas, peças originais, e também o teatro clássico e peças estrangeiras modernas.

    O Teatro Beit Leissin, em Tel Aviv, é um teatro de repertório que apresenta peças israelitas, assim como peças contemporâneas estrangeiras.

    O Teatro Árabe é um teatro de língua árabe profissional para adultos, com obras originais de países árabes, assim como obras contemporâneas traduzidas.

    O Teatro Beit Hagefen é um teatro profissional de língua árabe para crianças e jovens, apresentando peças contemporâneas e originais, inclusive de outros países.

    O Teatro Khan, único teatro de repertório de Jerusalém, oferece uma mistura de obras clássicas e contemporâneas numa sala de espetáculos bastante original, e fica num prédio restaurado que no passado foi um hostel turco.

    O Teatro Guesher, fundada em 1991 para oferecer uma produção artística para os novos imigrantes da antiga União Soviética, apresentava inicialmente produções de alto nível em russo. Em virtude do sucesso e da aclamação da crítica, passou a apresentar peças em hebraico, tornando-se parte integrante do teatro israelita. Tem representado Israel em festivais de prestígio em todo o mundo.

    O Teatro Clipa foi fundado em 1995, por Idit Herman, bailarino e diretor, e Tyulpanov Dmitry (Rússia), o ator e músico. A companhia oferece teatro, dança, design e música. O grupo, cujas obras são na sua maioria sem palavras, apresenta quatro obras novas por ano. A maioria é encenada por um período limitado, e algumas são encenadas só uma vez, em apenas um local. 

    O Teatro Infantil e Juvenil, apresenta peças para três diferentes faixas etárias, em escolas e centros culturais de todo o país, mantém cursos de teatro e drama e fornece instrutores para cursos especiais nas escolas.

    O Akko Festival é um festival de teatro fora do circuito regular, onde são estreadas peças israelitas novas e experimentais. Consiste de uma competição de apresentações internas, externas e de rua e apresentações de convidados internacionais.

    O Festival de Teatro Infantil é realizado em Haifa. Traz novas obras para crianças, inclui uma competição e apresentações com convidados internacionais.

    O Teatro Train foi criado em Jerusalém em 1981 como um teatro de bonecos. Oferece uma variedade de peças de completas para contar histórias divertidas para crianças pequenas, bem como festivais de rua para toda a família. Também há um Festival Internacional de Teatro de Bonecos anual.

    A formação em drama, direção e profissões correlatas ao teatro é proporcionada na Universidade de Tel Aviv, na Universidade Hebraica de Jerusalém, na Escola de Artes, Palco e Cinema Beit-Zvi (em Ramat Gan), no Estúdio de Representação Nissan Nativ (em Tel Aviv) e na Escola de Drama do Seminário Kibutziano.

     

  • Entretenimento

  •  

    O conceito de diversão "popular" começou em Israel na década de 40, com grupos como Chizbatron, Matateh e Batzal Yarok. Contudo, o grande desenvolvimento ocorreu durante os anos 60, com a formação de grupos de entretenimento ligados às diferentes unidades do exército. Vários dos principais artistas do país iniciaram as suas carreiras durante o serviço militar, como Chaim Topol, Si Hyman, Miri Aloni, Dorit Reuveni e Yardena Arazi. Durante essa época, o grupo israelita de comédia Hagashash Hahiver tornou-se famoso, apresentando por décadas quadros israelitas clássicos e, finalmente, receberam o Prémio Israel por sua obra e vida.

    Embora a televisão e o rádio sejam os principais meios de distração popular, espetáculos ao vivo de comediantes, cantores, músicos e conjuntos acontecem regularmente por todo o país. Entre os cantores prediletos do público citam-se Arik Einstein, Shlomo Artzi, Matti Caspi, Shalom Chanoch e Yehudit Ravitz; entre os conjuntos, Kaveret, Mashina, Atraf, Etnix e Chaverim shel Natasha. Alguns artistas são populares também no exterior, como Dudu Fisher, Ofra Haza, Rami Kleinstein, Aviv Gefen, David Broza, e Noa (Ahinoam Nini). Em 1998, a transexual israelita Dana International venceu o concurso de música Eurovision e tornou-se numa estrela global. A sua canção, "Diva", foi escolhida como a 14º melhor canção de todos os festivais Eurovision até hoje. Recentemente, ela lançou seu 11º álbum, "Hakol Zeh Letova" (All for the Good).

    Grandes musicais traduzidos para hebraico, como "Os Miseráveis" e "A Noviça Rebelde", foram recentemente reencenados, com grande sucesso. Muito popular entre os todos os israelitas é o género musical oriental, derivado sobretudo de influência árabe e grega, cujos mais conhecidos cantores são Boaz Sha'arabi, Yehuda Poliker, Sarit Hadad, Avihu Medina, Margalit Tsa'anani, Zehava Ben e Ofer Levy. Eyal Golan, Amir Benayoun e Miri Mesika são nomes mais recentes.

    Uma nova geração de comediantes stand-up, como Eli Yatzpan e Adi Ashkenazi está a começar a fazer um grande sucesso.